A realidade do UK III - Na estrada

Aqui é que a Inglaterra se destaca pela positiva. O condutor inglês é civilizado, não é agressivo nem invejoso como o nosso nem age como dono da estrada. As estradas estão bem sinalizadas, e o trânsito é intuitivo, abusando-se por vezes das rotundas, ás vezes duas num cruzamento!.

Quando se faz uma asneira não se põe toda a gente a buzinar, assumem que te enganaste e até ajudam.

As obras estão sempre bem sinalizadas, sendo no entanto tão demoradas como cá. Ultrapassagens á maluca não se vêem e os limites de velocidade são cumpridos quando há avisos de obras. Ai costuma ter câmaras e é avisado que lá estão. A carta de condução tem 12 pontos, cada infração tira alguns. Quando a zero, toca a tirar a carta de novo. As aulas de condução podem ser feitas no carro do papá desde que metido o "L" em cima. O exame também, só que com a presença do examinador do estado.

Portagens há muito poucas. Apenas no Darford Crossing, cruzar o Tâmisa a Este de Londres em túnel no sentido S-N e na ponte Elizabeth II em sentido contrário. O outro sítio onde vi portagens foi na magnífica ponte que vai da Inglaterra para o país de Gales.

Nas autoestradas, ninguem liga aos limites. O inglês aprecia muito os automóveis e o seu parque é muito superior ao nosso. Vêem-se muitos Ferraris, TVRs e Lotus. Na zona de Windsor há muito $$ e vimos uma vez um AC Cobra e um Dodge Viper a fazer uma picada. Carros a menos de 1400cc são raros. Carros italianos que não sejam de luxo são pouco apreciados. Fiats não se vêem muito e a Lancia desistiu oficialmente do mercado britãnico. Ford e os asiáticos vendem muito. Muitos carros do governo e policia são Peugeot!!

Existe a IPO, mas lá chama-se MOD. vêem-se vias reservadas a veiculos automóveis com separador central, com interrupção para inversão de marcha. Não parece ser fonte de acidentes lá.

Motas, tirando as de grande cilindrada não é coisa para eles. Aceleras é coisa para os "Europeus". Bicicletas vêem-se aos montes em Cambridge.

Uma achega linguística: as autoestradas não se chamam Highways nem freeways, apenas Motorways. Os autocarros são "coaches" e não "buses" e os camiões "lorries" e não "trucks".

A nível de acidentes, num ano vi um par de toques em zona urbana, no big deal. O facto de não terem imigrantes a vir dos 4 cantos da Europa, serem civilizados, não conduzirem sob o efeito do alcóol são grandes inibidores de acidentes.

Há montes de carros velhos porque parece haver uma cultura de preservação de modelos antigos (anos 70 e 80) mesmo que não gaja dinheiro para os preservar em condições. Jaguares todos corroidos e Ford Escorts velhos são ás dúzias.
As multas são passadas e é para pagar. Há descontos consideráveis para quem paga em menos de 2 dias. Apanhei uma multa num parquímetro por ter ido buscar o popó 10m depois da hora. Dizia no papelito que podia apelar MAS que se a desculpa era ter ido buscar trocos para o parquímetro podia bem esquecer. Fui a correr pagar.

Comments

The Best Alltime Posts

Jacques Cousteau - Episódio Negro no Tejo

Sacadura Cabral...faz hoje 28 anos..

Abu Nidal em Portugal