Filmes alusivos ao 911: "Flight93" e "World Trade Center"

Comecemos pelo segundo. Muito pobre para um filme do Oliver Stone. O típico drama americano nos moldes "Reader's Digest", em que pai de família que está a construir algo em casa pensa o tempo todo nos filhos em aflição, tudo enchido com humor dúbio. penso que apenas a personagem do Sargento Karnes mostra algo de novo. Um religioso profundo, frio e fanático que vai ajudar os enterrados nos escombros, de farda dos Marines. Nota-se o culto cego dos USMarines, patente na questão da faca de mato que ele empresta a um bombeiro. Mal a missão está acabada, pega no telemóvel e alista-se para ir vingar-se em alguém. No típico posfácio em texto antes dos créditos, é dito que foi combater no Iraque. Portanto apenas um energúmeno que não percebeu mesmo o que ali se passou, mais um moralista extremista Ocidental.

O Nicholas Cage, para tédio do espectador, faz o papel de homem rijo de poucas palavras. Existe o monopólio de personagens, que mais faz lembrar o "Outra Face" como o mesmo actor.

O filme em si até está interessante em função do tema e penso que também ajuda a mostrar a solidariedade que existiu em NY. De polémico, á Oliver Stone, nada por aí além de facto. Para este tema recomendo o livro "102 minutos".

Já ali estive, no WTC e há dois anos apanhei um autocarro na Port Authority de NY. No filme-se ouvem-se os bombeiros dizerem "vai á Church". É uma pequena Igreja do lado NE das torres que foi usada como quartel nos salvamentos, onde dormiram e comeram bombeiros. Está cheia de memoriais aos mortos e não deixa de ser comovente ver os postais que miúdos deixaram em memória do pai ou mãe, que morreram no atentado. Nas colunas da Igreja existiam pacotes de Kleenex, tal era a quantidade de gente a chorar (isto em 12/2004). Aproveitei porque estava constipado. Num livro de visitantes, deixei uma mensagem a criticar o GWBush.

Passando ao Flight 93, este sim está um grande filme. Não foca grandes actores nem personagens maiores que o filme, Os terroristas têm um aspecto amedrontado, e as pessoas um look normal com reacções realistas e pouco estereotipadas. O filme desenvolve a uma velocidade estonteante e mal se dá por ele está o 757 com o nariz a metros do solo.

Num documentário que vi, comentava-se que o piloto subia e descia o avião a tentar fugir dos avisos do "Master Alert". Provavelmente seria o aviso de excesso de velocidade, por andar a velocidades altas a baixas a altitudes já em descidas. Existe uma velocidade que nunca deve ser excedido sob pena de poder-se ter danos estruturais após deflexão nos comandos, ou mesmo desintegração do avião em caso de velocidade supersónica.

Sempre acreditei que o avião tinha sido abatido e nem critico o governo americano por tal acção. Lei do menos-mal, iam morrer todos dentro do avião, mais valia que não morresse ninguém em terra. Julgando os factos do filme como correctos, o amadorismo dos terroristas é gritante. Deveria ter ficado um no cockpit e os outros a controlar a cabine. Deveriam ter amedrontado constantemente o povo e cortado os telefones VSAT. Deveriam ter anunciado no PA que estavam a negociar qualquer coisa com o governo e que pertenciam a uma frente qualquer. Confiscado telemóveis também teria sido boa ideia.

O ataque dos passageiros é de louvar, pela coragem e altruísmo. É mesmo só pena que ao entrarem no cockpit não tenham feito algo mais simples, como agarrar no machado atrás do assento do copiloto (onde estava o terrorista) e lhe ter arrancado a cabeça fora. Ou lhe dado com um extintor na cabeça para que se tornasse inofensivo. Porque estando ele amarrado com o cinto de 4 pontos é muito difícil tirá-lo de lá. E depois ficou a agarrar no manche, e pior ainda, nos pedais (que controlam o leme). Lutando, o avião deve ter entrado em perda, ou se não, o movimento de nariz em baixo com ângulos de pranchamento tornaram as acções á força dos pax impossíveis.
Caso o tivessem neutralizado, o pax com licença de PPA certamente que deveria ter conseguido fazer alguma coisa. Pelo menos saberia estabilizar o avião em manual, e sintonizar uma frequência de controlo e pedir ajuda. O avião, como ia para São Francisco deveria ter fuel para ele tentar várias aterragens nalgum sitio qualquer. algum piloto, via rádio, certamente que o conseguia ajudar a configurar uma aterragem ILS cat III (aterragem automática) num aeroporto qualquer. Queimando fuel, ao menos podiam tentar uma aterragem de emergência. Adorava que tivesse sobrevivido alguém neste atentado. Seria um foco de luz no lado mais negro da aviação, o terrorismo a bordo.

Comments

Para ser sincero, não gosto deste tipo de filmes. São apenas comentários facciosos com uma historiazinha romantica ou familiar pelo meio.
O N.Cage... sempre achei que poderia ser um grande actor, mas faz sempre papeis de merda, o típico canastrão ou do tipo meia estatua meio mongloide. Fez um filme muito bom e de resto nada.
O Oliver Stone está a ficar um abutre, só faz filmes aproveitamdo-se das desgraças, qualquer dia está a fazer um sobre o CS Maritimo

The Best Alltime Posts

Jacques Cousteau - Episódio Negro no Tejo

Sacadura Cabral...faz hoje 28 anos..

Abu Nidal em Portugal