Turistas de pé rapado em Portugal

Os tempos de ir andar de avião em que parecia que estavamos num restaurante de luxo e que nos vestíamos a rigor para viajar, já acabaram.

Nesse tempo as viagens eram caras (apesar de fuel barato) e só os masi abastados e emigrantes podiam dar-se ao luxo de sair. Jovens, esses á boleia e já era bom.

Hoje em dia, devido ao progresso social, temos muita mais gente a viajar. Viajar de avião é ir de A para B, mais nada. Eu adoro aviões e gosto de apreciar aquilo tudo, mas o que faz com que exista aviação comercial, é o transporte. É sair de A para B, é um meio e não um fim.

Era melhor que os pés-rapados ficassem na terra deles e isto fosse só ricos? Era bom é que viessem TODOS. OS pés-rapados, se calhar deixam cá um fortuna nem que seja em bebidas.

Lá por não darem gorjetas gordas nos hoteis isso também já não significa que sejam pobres. Hoje em dia Portugal já não é o refugo da Europa e não parecemos uns pobres diabos que saltavam para o mar para apanhar as moedas que vinham dos pax dos cruzeiros.

Nas low-cost (é inaceitável dizer quem vem ou não vem sem viajar pelo menos uma vez) há pax de colarinho branco a viajar. A executiva no médio curso na TAP e na SATA não vale grande coisa para quem quer ir em trabalho e despachar-se. Numa viagem de 2h a meio da semana em trabalho sai-se do escritório a correr com o check-in feito na net ou por telefone e é entrar no avião e sair rumo a uma reunião. A bordo é para ler alguma coisa ou trabalhar no portátil.

Eu vou em trabalho (firma de engenharia) frequetemente a Bruxelas, com a companhia a pagar. Como sou o responsável pelos resultados financeiros dos projectos, vamos na Brussels A/Virgin Express.

Para a semana vai um colaborador nosso a Londres. Vai por Luton na Easyjet.

Há dias fui a Madrid em trabalho na Vueling.

Já percorri a Europa em low-cost, viagens pagas com o meu dinheiro.

Só pago viagens full-fare nas TAP, LH, AF, quando:
- não há opção (ex viagens de longo curso e voos de ligação)
- não há horários adequados ao que vou fazer (ex ter de pagar mais uma noite de hotel)

Aos cáusticos contra as low-cost, perguntem-se:

Já algum dia voou como passageiro numa Low-cost?

Experimente. Os slogans como "má qualidade", "mau ambiente laboral", "não ter serviço a bordo" podem ser vistos de outra forma.

Comments

Zozobra said…
Concordo, a principal motivação para escolher uma companhia aérea é a monetária. Os serviços extra não chamam pessoas, pelo menos em voos de curto/médio curso.

Não te podes é esquecer que as duas razões que apontas para ainda viajares em TAPs, LH, etc... aplicam-se a 95% dos casos (pelo menos para mim). E viagens em low-cost em horários bons, ou marcadas com pouca antecedencia tem preços quase semelhantes as outras companhias aereas.

Ainda acrescento mais duas vantagens das companhias não low-cost:
- Handling das bagagens, principalmente em viagens de mais de uma leg.
- Cartões frequent flyer. Eu já fiz pelo menos 3 viagens prémio ao longo da europa, apenas no cartão da TAP. E tenho milhas para quase outras 3 viagens.
Luis Miguel said…
Assim sendo, recomendas as "low cost", yes?

Francamente, cá por mim, qualquer coisa que me ponha do sítio A ao sítio B, ao preço mais vantajoso, serve!!! Quero é lá chegar, rápido, intacto e com a bagagem intacta, tudo, claro, com o mínimo de sacrifício do meu bolso...

The Best Alltime Posts

Jacques Cousteau - Episódio Negro no Tejo

Sacadura Cabral...faz hoje 28 anos..

Abu Nidal em Portugal